O conceito de IOT aplicado ao Trade Marketing

O Conceito de IOT

O conceito foi criado por Kevin Ashton, em 1999.

Mas Kevin não era alguém ligado à tecnologia, como poderia se supor. Na verdade, ele era um gerente de produtos na empresa Procter & Gamble.

Isso nos leva a entender o porquê o conceito de IOT teve suas raízes no trade marketing.

Naquela ocasião, um dos itens mais vendidos da P&G, o, batom labial da linha Oil of Olay, encontrava-se constantemente em ruptura nas lojas. Não convencido de que fosse algo pontual, Kevin passou a investigar o problema e acabou desenvolvendo uma apresentação para a P&G para pedir verba para um projeto de pesquisa. E foi nessa apresentação que Kevin uniu dois termos, “internet” e “things that think”, criando um terceiro termo: “Internet of Things”, hoje IOT.

O projeto desenvolvido mencionava a importância da internet e de ferramentas de tecnologia para gerenciar estoque, posição de gôndolas e muitas outras coisas, em tempo real, realizadas pelos próprios computadores e outros aparelhos, como sensores e smartphones.

(Conheça a história em How to Fly a Horse, ou no site http://www.howtoflyahorse.com).

Mas o que é IOT?

Quando falamos sobre esse conceito, estamos nos referindo a dispositivos que têm um IP único e são capazes de se conectar graças à internet.

As “coisas” englobam smartphones, mas, também, referem-se a sensores e outros objetos com a capacidade de se conectar em rede e interagir de acordo com instruções programadas.

Por volta do ano 2020, haverá mais de 26 bilhões de dispositivos conectados, o que é o dobro do número de tablets, smartphones e PCs somados hoje.

Ou seja: a IOT estará mudando cada vez mais a rotina da vida das pessoas e também dos negócios.

Como IOT está transformando as coisas ao nosso redor?

É a Internet das Coisas que nos deu a instrumentação para a criação de casas inteligentes, por exemplo.

A maioria das indústrias já utiliza (ou, pelo menos, planeja utilizar) a Internet das Coisas na rotina de negócios.

É por causa da IOT que as lojas inteligentes passaram a fazer parte das iniciativas de varejo.

É possível encontrar um defeito em uma máquina antes que ela estrague, por exemplo.

Na parte de logística, sensores podem indicar onde está um produto, como está sendo transportado, quais suas condições. Aliás, o setor de logística é um dos que mais tem se beneficiado com essas inovações. Afinal, os sensores conectados à internet têm um potencial muito grande para simplificar a cadeia de distribuição e descomplicar as etapas que levam o produto das indústrias para as prateleiras.

Com relação às vendas, o uso de Internet das Coisas ajuda a prever quais produtos serão necessários antes que seu estoque acabe.

E no varejo?

O IOT em serviços de campo vem aumentando a produtividade, evitando possíveis falhas e tornando os consumidores mais satisfeitos, facilitando processos e se tornando uma poderosa arma para a competitividade.

O IOT pode seu útil e trazer muitos outros benefícios para melhorar a experiência de compra do shopper nas lojas pois possibilita:

-Monitorar o tráfego de clientes

Sensores instalados são capazes de determinar, com precisão, quantas pessoas visitaram uma loja, registrando os horários e até mesmo, quais foram os espaços de sua preferência.

Todas essas informações podem ser utilizadas para criar lojas melhores e explorar melhor seu potencial

– Identificar hábitos de consumo

A diminuição entre a distância de experiências de consumo digitais e físicas possibilita:  a customização da oferta de produtos, redefinindo o atendimento ao cliente em cada caso;  aumentar a velocidade do atendimento, trazendo elementos de customização e personalização para o atendimento feito em loja e aumentando a eficiência;  oferecer todos os produtos de que os clientes realmente desejam e necessitam.

À medida que permite identificar com precisão hábitos de consumo, a Internet das Coisas traz oportunidades únicas para o aprimoramento de estratégias nas lojas. Assim serão as lojas do futuro.

– Análise de dados

O uso de dados é uma das possibilidades mais incríveis entre as inovações promovidas pela Internet das Coisas.

Tecnologias como Big Data e Business Intelligence podem ser articuladas para determinar variáveis importantes da performance do varejo.

Dados mais ricos nos ajudam a perceber as deficiências e apontar os diferenciais de um negócio. E, também, a construir espaços e interações mais significativos para o público.

Em suma, com o uso de Internet das Coisas é possível monitorar métricas que dizem por si só qual a satisfação dos clientes com relação a cada venda em particular.

Como a IOT está impactando as marcas?

Veja aqui um exemplo da americana WALGREENS.

Eles criaram uma plataforma móvel para compras, que permite que os consumidores busquem e mapeiem os produtos dentro da loja.

Você simplesmente não precisa mais perguntar a nenhum funcionário da loja onde está um produto quando está nos corredores procurando por ele.

Esse app resolve este problema.

E mais:  também serve para divulgar ofertas personalizadas, no momento relevante, o que é uma tremenda oportunidade para os profissionais de marketing.

A AMAZON também está encontrando os clientes onde eles estão, através do seu desenvolvimento de IOT, chamado “DASH BUTTONS” (botões para emergências).

Esses botões estão disponíveis para os clientes que são membros “Prime” e permitem fazer um rápido pedido de reposição, quando o seu produto doméstico favorito estiver acabando.

O botão é conectado através do Wi-Fi da casa e o app da AMAZON. Quando os clientes recebem um botão, eles configuram a quantidade que eles querem pedir ao aperta-lo. Então, quando um produto, como um detergente de máquina de lavar roupas, ou o lanche favorito, estiver acabando, um simples aperto do botão faz o pedido de reposição.

Este processo economiza tempo e é muito bom para as empresas, já que eles geram pedidos repetidos e portanto, maior fidelidade dos clientes.

Mas esses são apenas alguns exemplos.

As marcas precisarão usar cada vez mais a tecnologia para entregar precisamente o que os clientes querem no futuro.

A IOT se tornará ainda mais avançada do que os exemplos citados acima.

Ela não apenas nos mostrará o melhor caminho numa loja, baseada em históricos de compras anteriores, mas a loja também poderá rastrear os dados relacionados a esses caminhos.

Por exemplo, uma empresa pode descobrir que 40 por cento dos clientes usam um caminho específico através da loja e, consequentemente, desenhar mais eficazmente os displays de produtos.

No futuro, certamente a IOT conduzirá cada vez mais engajamento das marcas com os clientes.

E como a IOT impactará o TRADE MARKETING das empresas?

A IOT está transformando a experiência do cliente, mas ela também transformará a maneira como os profissionais de trade oferecem os seus produtos.

Porque a integração entre os dispositivos e plataformas permitirá que os profissionais  não apenas criem experiências personalizadas para os clientes, como também aprendam mais sobre os comportamentos e as preferências deles.

Como resultado, as marcas construirão engajamentos mais profundos e mais autênticos.

Se você está pensando em adotar a IOT na sua futura estratégia de trade? Veja aqui 4 dicas importantes.

  • Entenda as interações.Em quais pontos estão os clientes interagindo com a sua marca? Talvez eles interajam principalmente através dos canais online. Ou da mídia social. Ou no próprio PDV. O importante é identificar as áreas de maior interação pois elas deverão ser o principal foco para os esforços de sua IOT.
  • Foque nos problemas.É preciso entender onde os clientes tem problemas e focar na solução deles.
  • Conecte os dados. Olhe para as interações e para os problemas, e então, descubra onde encaixar a IOT. Por exemplo, você pode selecionar as principais interações dos clientes com a sua marca, como também um problema comum. A partir daí, deve-se descobrir como incorporar algo que melhore a experiência dos clientes.
  • Mensure os dados.Uma vez implantada a IOT, é importante acompanhar e mudar o curso das coisas, se necessário. Colete os dados, mas tenha a certeza de estar atento em transformar esses dados em insights.

Seguindo adiante

A melhor época para começar a criar uma estratégia de marketing de IOT é agora.

Quando você fizer isto, você poderá monitorar de perto o comportamento dos seus clientes, reagir mais rápido quando as coisas saírem erradas e mitigar más experiências.

Isto é ser proativo, criando interações positivas com os clientes, em tempo real.

 

E aí, gostou de conhecer a Internet das Coisas  e suas aplicações? Então, siga a COMPART nas redes sociais e fique por dentro de outras novidades.

Referências:

Internet das coisas: como ela está relacionada ao varejo?

https://www.hytrade.com.br/a-internet-das-coisas-esta-mudando-o-marketing/


https://pt.checkmob.com/blog/internet-of-things-e-trade-marketing/

https://pt.checkmob.com/blog/como-iot-esta-transformando-servicos-de-campo/